segunda-feira, 30 de novembro de 2015

A Educação e a Hipocrisia da Política Brasileira



O fingimento e a falsidade da política suja e corrupta, que sempre atuou nos quatro cantos desse País, principalmente no período eleitoral, deixam tanto a saúde pública como a educação, continuarem sendo penalizadas. E isso continuara enquanto a população Brasileira, não abrir os olhos e tomar as atitudes necessárias, nos seus atos e atitudes quando o assunto for política.


O povo está saturado de em períodos eleitorais testemunharem, a veemência com que os pretensos candidatos, falam das melhorias na saúde e na educação. E no final das contas nada muda, ou seja, mesmo que os pretensos candidatos sejam eleitos e que consigam maioria nos parlamentos, nada de substancial e verdadeiro privilegiara a educação nem tão pouco a nossa sucateada saúde.


Infelizmente ainda vamos ter que conviver por muito tempo, com a educação “cabeça de caprino”, onde de forma misteriosa, os investimentos ainda continuaram sendo feitos por “cabeça”, ou seja, mais alunos matriculados, mais verbas para a instituição, menos alunos matriculados, menos verbas para a instituição. E de contrapeso, atrelada a essa infame forma de investimento que a educação brasileira se encontra, uma expressiva falta de segurança que permeia toda a sociedade, e influência de forma direta as escolas públicas.

Além da falta de interesse da maioria dos pais e responsáveis pelos alunos, no tocante a exigir que sejam cobrados resultados positivos, tanto dos seus protegidos, quanto da escola, o desânimo e a pressão a que são submetidos, todo corpo docente das instituições públicas, promovem de forma involuntária, a saída das mais diversas formas, de um grande número de excelentes profissionais comprometidos com a educação, das salas de aula. 


Por conta de um piso salarial defasado, e que na maioria das vezes não é respeitado pela maioria dos municípios, o professor torna- se a cada dia um profissional desatualizado e sem a devida credibilidade que merece. No entanto, se esse profissional fosse respeitado pelos parlamentos nacionais, recebendo incentivos na forma de leis, e decretos poderiam amenizar tal situação relacionada ao professor, incentivos como:


- Passe livre para os professores de todo País nos teatros e cinemas;

- Redução no percentual ou a extinção do imposto de renda dos profissionais em atividade;

 - Isenção de determinados impostos quando da aquisição de veículo Zero;

- Federalização do salário dos professores, acabando de uma vez por todas, com as falcatruas e desvios que continuam a permear todo o País.


Tratando os professores e a educação Brasileira com respeito e dignidade, sem hipocrisia e pressionando os verdadeiros responsáveis pelas mazelas da educação, saúde e segurança, a nossa sociedade poderá sonhar com uma mudança real e verdadeira, principalmente na consciência e na formação de opinião do País.


 INFORNATUS
   





Nenhum comentário:

Postar um comentário