domingo, 24 de julho de 2016

Anistia Internacional

É uma organização não governamental que defende os direitos humanos.A Amnistia Internacional foi fundada em 1961 pelo advogado britânico Peter Benenson, na sequência de uma notícia publicada no ano anterior pelo jornal Daily Telegraph sobre a condenação de dois jovens estudantes portugueses a sete anos de prisão por gritarem "viva a liberdade" numa esplanada no centro de Lisboa durante o regime de Salazar . O causídico apelou aos países que libertassem pessoas detidas por motivos de consciência, incluindo convicções políticas e religiosas, preconceitos raciais ou linguísticos.O movimento foi formalmente lançado com a publicação, em 28 de Maio desse ano, no jornal The Observer, do artigo The Forgotten Prisioners, denunciando vários casos mundiais.

A A.I. averigua denúncias de prisões políticas, torturas ou execuções. Para isso, o Secretariado Internacional, através do seu Departamento de Investigação, recolhe toda a informação possível relacionada com os casos suspeitos, e, se necessário, envia missões de investigação ou para a observação de julgamentos. Mas o movimento obriga-se à imparcialidade das suas tomadas de decisão e, para isso, impõe às suas estruturas operacionais, suas células de base, que não recebam nem tratem casos relacionados com o próprio país. As únicas exceções são o trabalho de divulgação ativa dos direitos humanos, a luta contra a pena de morte ou a proteção dos refugiados objeto de perseguição política nos seus países de origem.

O papel desempenhado por esta organização não-governamental em relação aos direitos humanos foi, e continua a ser, de tal ordem importante que, em 1974, Sean MacBride, presidente da organização, recebeu o Nobel da Paz. Três anos mais tarde a própria organização foi galardoada pelo mesmo premio.

  

 INFORNATUS


sábado, 16 de julho de 2016

Você Sabe Porque o Gato Sempre Cai de Pé?

Você não precisa fazer um teste, mas observe um gato caindo de algum local, ele sempre cai de pé. Isso se deve porque os gatos têm um senso de equilíbrio bastante apurado que lhes permite fazer movimentos rápidos e girar o corpo sobre as quatro patas.O bichano realiza esse malabarismo contando com a grande sensibilidade dos receptores (estrutura interna do ouvido responsável pelo equilíbrio). Afinal das contas, como o gato faz?


Isso tudo é permitido, através da fisiologia (o próprio sistema) do gato.Sempre que o gato está em uma posição desconfortável, ocorre um aumento de pressão na região, funcionando como alerta, assim, essa “mensagem de alerta” é enviada para o sistema nervoso que manda vários sinais elétricos para o aparelho locomotor, em especial, os músculos.Assim, os músculos, realizam uma série de movimentos instintivos que fazem o corpo do animal recuperar o equilíbrio.

 INFORNATUS



quarta-feira, 13 de julho de 2016

Concurso Sesc 2016

O Serviço Social do Comércio (SESC) divulgou nesta quinta-feira, 07 de julho, o edital de concurso (Concurso Sesc 2016) para preencher nada menos que 880 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade (fundamental, médio e superior). 

Os salários oferecidos podem chegar a até R$5mil. De acordo com o edital publicado, do quantitativo de vagas oferecidas, 77 serão para contratação imediata do SESC, e o restante, 803, para formação de cadastro reserva (convocação conforme necessidade).
 
Cargos e Vagas Concurso Sesc 2016 


Nível Fundamental: Administrador de Portaria, Auxiliar de Serviços Gerais, Vigia, Auxiliar de Cozinha, Merendeiro, Cozinheiro, Salgueiro, Padeiro, Doceiro, Chapista, Açougueiro, Auxiliar de Açougueiro e Saladeiro. Os salários oferecidos oscilam entre R$ 945,00 a R$ 1.749,00.
Nível Médio/Técnico: Assistente de Administração, Auxiliar de Saúde Bucal, Operador de Caixa, Inspetor de Sala, Despenseiro, Auxiliar de Atividades Sociais (AAS). AAS – Recreação, AAS -Áudio e Vídeo, AAS- Nutrição e Dietética. Técnico em Instrução- Corte e Costura, Técnico em Instrução Apresentação Pessoal (Cabeleireiro). Os salários oferecidos oscilam entre R$ 1.029,00 a R$ 2.105,00.


Nível Superior: Advogado, Médico, Cirurgião Dentista, Assistente Técnico-Designer e Multimídia, Assistente Técnico Nutricionista, Assistente Técnico – Contador, Assistente Técnico – Cultura; Orientador Pedagógico, Técnico em Instrução Inglês, Professor/Pedagogo de Ed Infantil e Anos iniciais do Ensino Fundamental,Técnico em Instrução: Guitarra e Contrabaixo, Canto e Teclado. Salários de até R$ 4.950,00.

De acordo com o edital publicado, os aprovados terão direito a vale transporte, plano de saúde: subsidiado-enfermaria – UNIMED ( R$ 208,38), vale alimentação no valor de R$ 374,00, conforme acordo coletivo celebrado com o SENALBA, entre outros.
As inscrições no concurso SESC 2016 serão realizadas entre 14 de julho e 15 de agosto de 2016, no site: (http://coned.com.br/novo/). A taxa de inscrição será de R$50 para nível fundamental, R$60 para nível médio e R$68 para nível superior.

 INFORNATUS




sexta-feira, 8 de julho de 2016

Farol Apagado ou Buracos na Pista o Que é mais Perigoso Durante o Dia?



Mais uma vez a população Brasileira, é pega de surpresa por mais uma daquelas leis “mirabolantes”, que segundo as autoridades, deverá prevenir e evitar a onda de acidentes que sofre toda a sociedade Brasileira nas rodovias. Obrigar os condutores de veículos automotivos a transitarem nas rodovias com os faróis acessos durante o dia, sob um sol escaldante de 40ºc, penalizando aqueles que desobedecerem tal lei, é a única alternativa que as autoridades constituídas elaboraram, e expõem de forma ditatorial para a população, fazendo inclusive questão de divulgar as penalidades, e suas consequências para aqueles que não as cumprirem. 


Enquanto isso a quantidade de estradas mal sinalizadas, mal conservadas e totalmente abandonadas, aumentam assustadoramente, principalmente as estradas interestaduais. Diante de tal situação, a população inteligente e capaz faz o seguinte questionamento: Por que lei idêntica e com rigor semelhante não é promulgada contra os chefes dos poderes executivos estaduais e federal, que não conservarem e sinalizarem, como devem fazer nas estradas de suas respectivas responsabilidades? O que na realidade diminuíra substancialmente o número de acidentes nas rodovias? A conservação e sinalização das mesmas, ou simplesmente obrigar os condutores a transitarem com os faróis acessos, a depender da região durante o dia sob um sol de 45ºc, em uma estrada mal conservada e cheia de buracos? Não quero com isso dizer que tal medida não seja eficiente, mas diante de nossa realidade, chega a ser injusto penalizar a população, e não cobrar do poder executivo a sua responsabilidade com o mesmo rigor aplicado a população.


Diante de tantas “mirabolantes” soluções a que são submetidas toda a população Brasileira, não será surpresa alguma se de repente com o mesmo rigor, lei idêntica seja promulgada, no sentido de transitar com os limpadores de para brisas acionados, mesmo que não estejam sob chuva ou neblina, com o objetivo único e exclusivo de também evitar acidentes. A sociedade necessita de leis e ações que tragam resultados reais, no entanto, para que a população seja cobrada, é necessário que os poderes executivos também sejam cobrados e chamados as suas responsabilidades. Antes de cobrar algo da população, as autoridades deveriam proporcionar condições dignas, e só depois fazer tais cobranças.
Blog do Gari Martins da Cachoeira
walfreire.blogspot.com.br 
Brasil Escola 
 INFORNATUS





quinta-feira, 30 de junho de 2016

Terminal de Integração: Uma Arapuca Para o Cidadão Campinense



O termo arapuca é segundo o dicionário da língua portuguesa, usado para designar uma espécie de armadilha, e é nesse exato momento, o termo que melhor esclarece a atual situação que passa o terminal de integração de campina grande, localizado por trás do teatro municipal Severino Cabral. Os vários arrastões que aconteceram e vêm acontecendo naquele local, deixam os usuários do transporte coletivo de campina grande, com a temerosa sensação de estarem dentro de uma verdadeira arapuca, quando adentram naquele espaço público.

Acreditamos que a insuficiência de efetivo policial na cidade, seja um dos principais problemas que de forma direta interferem numa melhor segurança aos usuários daquele espaço. Campina Grande é hoje uma cidade com mais de 400 mil habitantes, segundo o último censo do IBGE, e por conta de sua crescente expansão populacional necessita obviamente, de um efetivo policial proporcional ao seu crescimento. No último dia 30 de junho de 2016 por volta das 6 horas da manhã, novamente os usuários desse sistema viário, foram vítimas mais uma vez da ação inescrupulosa desses criminosos, que segundo as vítimas em depoimento aos programas jornalísticos da cidade, afirmaram que vários populares, tiveram seus bens subtraídos pelos marginais que estavam de posse de arma branca (faca peixeira).

Em programa jornalístico veiculado na cidade, o comandante da policia militar afirma que, existe uma viatura designada para dar segurança aos usuários daquele local, mas que, no exato momento que ocorreu tal ação, tinham saído para atender ocorrência em outro ponto da cidade. Com isso fica comprovado que o efetivo policial de Campina Grande é insuficiente, já que um local com o histórico de vários crimes sofridos, como o terminal de integração necessitaria de um policiamento fixo, pois a grande quantidade de usuários daquele local torna-se evidentemente um grande atrativo para a marginalidade. Ainda de acordo com a mesma reportagem, nas proximidades do terminal de integração, elementos  atacaram uma mulher e levaram seus pertences, a policia foi avisada e em uma ação rápida e merecedora de elogios, ainda conseguiu capturar dois elementos que inclusive ainda estavam de posse de alguns dos objetos subtraídos.

aparentemente os elementos capturados eram menores de idade, o que infelizmente por conta de nossa infame legislação, nos leva a deduzir que caso se confirme a menor idade, em breve estarão na ativa novamente. A desproporcionalidade entre efetivo policial e a população de Campina Grande, notadamente pode ser indicada como uma das falhas, mas conscientemente podemos visualizar também, uma má vontade política entre a administração municipal e o Governo Estadual, onde nessa queda de braços, quem sofre é sempre o trabalhador, o estudante e a dona de casa que precisa utilizar esse Serviço Público, e por conta de más administrações, ficam a mercê da marginalidade.
 INFORNATUS



Mais de 60 Títulos Disponibilizados Pelo MEC Para Download GRÁTIS



 INFORNATUS
 
 
 

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Campina Grande e o "Maior São João do Mundo"

Trem do Forró no Maior São João do Mundo
O Maior São João do Mundo é um evento anual realizado pela prefeitura de Campina Grande, no estado da Paraíba (Brasil) durante o mês de junho. Trata-se de uma tradicional festa junina. Na cultura do Nordeste Brasileiro é muito típico comemorar o dia de São João através de espetáculos, danças e quadrilhas.Antes do evento ser criado, já se dançava forró e se comemorava o São João em Campina Grande. 

As festas de São João, Santo Antônio e São Pedro eram comemoradas com animação entre familiares e amigos convidados para as festas particulares, em volta de grandes fogueiras. Havia dança de forró em sítios, granjas e fazendas. Outros lugares onde se costumava festejar esses dias eram no Aero-club de Campina Grande, no Clube dos Caçadores e na Juventude Franciscana, que funcionava no auditório do Convento São Francisco

Além destes, o forró pé-de-serra era dançado nos clubes Paulistano, Ipiranga, Flamengo e Forró de Alcatrão. Mesmo nessa época, artistas famosos vinham prestigiar a cidade com suas apresentações: Jackson do Pandeiro, Genival Lacerda, Marinês e Sua Gente, Abdias do Fole de Oito Baixos, Conjunto Zé Lagoa, Antônio Barros e Ceceu, Elino Julião, João Gonçalves, Zé e Manoel Calixto. Nos bairros de Campina, havia organizações de quadrilhas em várias ruas, em participação massiva da comunidade. Alguns patrocinantes era o Café São Braz e o Café Aurora, que davam as bandeirolas e o som. O prefeito da época, Ronaldo Cunha Lima, vendo a potencialidade das festividades juninas na cidade, resolveu concentrar as festas no centro da cidade, aumentando a participação do povo campinense. Nasce, assim, o Maior São João do Mundo.

Desde a sua primeira edição, o evento é realizado no Parque do Povo.Para a construção do Parque do Povo houve duas etapas. Primeiramente, uma palhoça com piso feito com cimento queimado foi construída. Palhas de coqueiros foram usadas para cobrir a palhoça e ornamentação da área, que era conhecida como Coqueiros de Zé Rodrigues. Um "mutirão" foi organizado para fazer o São João naquela área.Tendo a organização sido feita de última hora, os integrantes do mutirão estavam a pregar bandeirolas e a esperar o cimento secar poucas horas antes do início do evento.

Depois disso, foi sucesso absoluto. Das mil camisas que mandaram fabricar para venda no primeiro São João, tiveram que completar 12 mil, pois os pedidos eram muitos. Esse número foi crescendo nos outros anos, tendo aumentado para 25 mil e 30 mil nos próximos 2 anos.Tendo o prefeito Ronaldo Cunha Lima visto o sucesso atingido, fez toda a área do futuro Parque do Povo ser urbanizada e a Pirâmide do Parque do Povo ser construída. Além disso, também por conta do sucesso do evento, as casas de show Spazzio, Forrock, Vilá Forró, Vale do Jatobá, dentre outras, foram construídas em Campina.

Com o tempo, todas as atrações, barracas e tudo que se encontra no São João de Campina foram aparecendo: comidas típicas, artesanatos, os palcos, quadrilhas, ilhas de forró, cenários, casamento coletivo, trem do forró, etc.Essa iniciativa de promover o São João de Campina Grande, tomada pelo ex-prefeito Enivaldo Ribeiro e depois poeta-prefeito Ronaldo Cunha Lima e sua equipe de governo, repercutiu além da região polarizada pelo município, projetando a cidade no calendário do turismo de eventos do País e levando a EMBRATUR a inserir e consagrar a marca "Maior São João do Mundo" entre os principais festejos populares brasileiros.

Em 2006, por iniciativa do prefeito Veneziano Vital do Rego, o layout d'O Maior São João do Mundo foi alterado para O Maior São João é Campeão do Mundo, a fim de oferecer mais espaço e organização para o evento. O novo layout e a programação da festa junina para 2006 foram apresentados no Centro Cultural Lourdes Ramalho no dia 16 de maio de 2006.Na nova apresentação do São João no Parque do Povo está totalmente enfeitado com as cores do Brasil, as "ruas" entre as barracas estão mais largas do que nos anos anteriores. Além disso, cada rua e beco ganhou um nome, tornando fácil a identificação de um local específico no meio de tantas barracas, além de deixar o aspecto do ambiente mais amigável. 

Alguns nomes de ruas foram escolhidos para fazer homenagem aos nomes de ruas da Campina Grande antiga, como a Rua da Matriz, hoje Avenida Floriano Peixoto (onde fica a antiga matriz, a Catedral de Campina Grande) e a Rua Grande, hoje Rua Maciel Pinheiro, onde moravam os mais ricos no início do Século XIX e que hoje é uma rua importante para o comércio. Com o novo layout, as barracas estão uniformizadas, com telhados idênticos, mas com aparência própria.

Outra modificação para o São João de 2006 foi um destaque maior para a Pirâmide. Ela recebeu uma pintura nova das cores da bandeira do Brasil. Antes de 2006 ela era utilizada como palco de forró de maneira semelhante às ilhas de forró espalhadas pelo Parque do Povo, a partir dessa edição, a pirâmide recebeu as apresentações de quadrilhas, que antes acontecia em um palco no começo do Parque do Povo. A réplica da catedral foi movida para uma área anterior, desocupando a "praça" do parque, que antes ficava escondida por conta da igreja.

A Pirâmide é o espaço coberto, que durante as festas juninas ocorre campeonato das quadrilhas das cidades próximas de Campina Grande e onde forrozeiros podem dançar sem se preocupar com as frequentes chuvas do inverno, que acontecem em junho(que hoje quase nunca acontece). Dentro da programação do São João se destaca o Expresso do Forró, um passeio de trem que acontece nos fins de semana do evento e que leva seus passageiros da Estação Velha, em Campina, até o distrito de Galante, um belo lugarejo repleto de turistas, onde a animação toma conta das ruas e pavilhões. O trajeto de ida e volta é feito em uma locomotiva toda decorada com motivos juninos, onde em cada vagão se apresenta um autêntico trio de forró. Ao chegarem a Galante os passageiros são recepcionados por quadrilhas juninas e podem se acomodar em pavilhões, onde podem degustar iguarias típicas, ou dançar o forró ao som de várias atrações. A paisagem rural é um convite a um passeio, seja a pé ou de charrete, onde se pode sentir o clima acolhedor da população.

Além das danças e das festas, o São João de Campina Grande Campina oferece diversas outras atrações: em uma delas, o Parque do Povo virá palco de casamento, durante o dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro, quando são realizadas dezenas de casamentos conjuntos, no Casamento Coletivo. Muitas pessoas sem poder aquisitivo realizam o sonho do casamento em festas com tudo pago pela Prefeitura da cidade. Já no dia de São João, são reservadas as melhores atrações e Campina Grande recebe o estrondo de dezenas de fogos de comemoração, por mais de 10 minutos.

Um ponto muito importante para visitação turística é o Sítio São João: um cenário rural de 800 metros quadrados, que fica no Arraial Luiz Gonzaga e que reproduz o cotidiano de um sítio do passado no interior nordestino. Ao todo, encontram-se uma Igreja, bodega, uma casa de Mangaio, Casa de Farinha (principal atividade econômica da época) e a casa do morador, que por possuir utensílios e rudimentos utilizados na época, faz o visitante voltar no tempo.Outro lugar interessante é a reprodução da época que Campina Grande ainda era vila: a "Vila Nova da Rainha". São 15 casinhas, uma igreja e um coreto, tudo construído em uma arquitetura semelhante a original, onde os turistas podem fazer suas compras de artesanato e confeccionados, produzidos a partir de diversas matérias-primas como madeira, estopa, bucha vegetal, sisal, barro, couro ou tecido. É no pátio das casinhas que acontecem as tradicionais brincadeiras do pau-de-sebo, corrida de saco, burreata, adivinhações… além das corridas de jegue e da fogueira.

Neste lugar, pode-se ver réplicas de lugares importantes da cidade, formando uma cidade artesanal, como a Catedral de Nossa Senhora da Conceição (18 metros de altura), a primeira igreja de Campina e atual catedral da Cidade. Réplicas do Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande e do Cassino Eldorado (8,5 m) também podem ser encontradas. Tanto o museu quanto o cassino eram grandes atrações nacionais que se apresentavam na cidade nas décadas de 30 e 50. Até hoje o cassino se encontra na Rua Manuel Pereira de Araújo, na feira Central. Em 2005, fizeram a pavimentação desta área de 2.900 , facilitando as danças, tornando-as mais cômodas.

Para quem quer dançar muito forró, além dos shows que ocorrem nos 6 palcos, existem 5 Ilhas de Forró distribuídas ao longo do Parque do Povo. Essas ilhas são espaços reservados para danças onde se toca o autêntico forró pé-de-serra. Durante as 30 noites de festas, passam por essas ilhas 90 trios de forró, juntando uma quantidade imensa de pessoas que realmente estão ali para dançar forró de verdade, pois a concentração de forrozeiros é muito grande. As ilhas são palhoças com um espaço relativamente grande, caracterizadas como as palhoças juninas da zona rural.

A fim de tornar o cenário ainda mais em clima junino, todos os anos monta-se uma fogueira gigante, a Fogueira Cenográfica, dentro do Parque do Povo. São 20 metros de altura e é construída a partir de cola, poliuretano, tecido, dentre outros. Ao ver a fogueira, qualquer um diria que foi feita de madeira, de tão perfeita que foi sua construção.Dessa vez é na Pirâmide, um espaço aberto e privilegiado pela sua extensão grandiosa, onde os forrozeiros podem dançar bem a vontade sem se preocupar com o espaço. Por aqui passarão 35 atrações.


 INFORNATUS




sexta-feira, 17 de junho de 2016

Saiba o Que é e Qual o PH Ideal da Água Para Consumo Humano

Recentemente, uma avalanche de informações desconexas e sem nenhum fundamento técnico têm sido divulgadas pelas redes sociais e internet, sugerindo valores supostamente “ideais” para o pH da água destinada ao consumo humano. Algumas dessas informações, totalmente sem nenhuma base científica ainda chegam a recomendar o pH alcalino como uma fonte terapêutica e de promoção da saúde. Em colaboração com a saúde pública e com o dever de informar corretamente, solicitamos que todos atentem para o exposto abaixo:

1) O que é o pH da água? 

As letras pH são as iniciais de percentual Hidrogeniônico. Não é o caso aqui de discutirmos seu significado ou cálculo do ponto de vista químico ou matemático, mas sim sua implicação sobre a qualidade da água destinada ao consumo humano. A escala de pH varia de 1 a 14, sempre números positivos, e indica a concentração de íons H+ presentes na água. Como essa concentração de íons H+ determina o caráter ácido da água, costumamos dizer que o valor do pH indica se a água tem caráter ácido, neutro ou básico (também chamado de alcalino), de forma que, valores de pH menores que 7 representam caráter ácido, maiores que 7.0 representam caráter básico e igual a 7.0 representa caráter neutro. Isso não significa absolutamente que uma água com pH igual a 6.0, por exemplo, seja ou ácido. Ou que uma água com pH igual a 8.5 seja uma base. O pH da água indica, apenas, seu caráter baseado na concentração dos íons H+, visto que ácidos e bases propriamente ditos são espécies químicas com definições baseadas em conceitos bem mais complexos que simplesmente o valor do pH.

2) Qual o valor ideal do pH da água potável?

Hoje no Brasil, quem determina todos os Padrões de Potabilidade em todo o território nacional é aPortaria 2914do Ministério da Saúde. Essa Portaria recomenda que o valor do pH da água destinada ao consumo humano e fornecida pela rede pública de abastecimento esteja na faixa entre 6.0 a 9.5. Entretanto, existem inúmeras águas engarrafadas e comercializadas em garrafões para bebedouros cujo pH é inferior a 6.0. Essa condição não deixa nenhuma água “melhor” ou “pior” para a saúde humana pois seu efeito sobre ela, baseado no pH, é absolutamente nenhum.

3) É verdade que devo tomar água “alcalina” para melhorar minha saúde?

Essa informação é absurda, mentirosa e sem nenhum fundamento. O ambiente estomacal de uma pessoa normal tem pH na faixa de 2.5 a 3.0, produzido por um ácido forte que é o ácido clorídrico. É assim que tem que ser, isso é normal e fisiológico. Quando se toma água com pH alcalino, isto é, superior a 7.0, a sua influência sobre o pH do estômago é praticamente nenhuma em razão da “força” do ácido clorídrico do estômago. No passado, acreditava-se nessa influência e muita gente tratava gastrite com água alcalina, sem absolutamente nenhum sucesso. Hoje sabemos que boas razões para os sintomas de hiperacidez estomacal como azia e “queimação” podem ser uma infecção por H. pillori (que deve ser tratada com antibióticos) ou uma DRGE (Doença do Refluxo Gastresofágico). Em ambos os casos e tantos outros, deve-se procurar um médico especialista para a conduta ideal. A divulgação dessas informações equivocadas acabam desorientando as pessoas e fazendo-as crer em terapias absurdas que levam à piora dos sintomas e atraso na cura.

4)  E qual a influência do pH da água que consumimos sobre o pH do nosso sangue?

Absolutamente nenhuma. Esse é outro absurdo que circula pela internet, muitas vezes pela boca de supostos especialistas que se dispõem a simular experimentos infantis e de mero efeito visual, iludindo os menos avisados sobre efeitos de “água ácida” ou “água alcalina” sobre o pH do sangue e, consequentemente, sobre a saúde das pessoas. O pH do sangue humano varia entre 7.35 e 7.45, uma fixa extremamente fina (apenas 0.1) que garante que nosso metabolismo opere normalmente. O corpo humano tem mecanismos refinadíssimos para conseguir manter o pH do nosso sangue dentro dessa faixa, pois fora dela nossa saúde entraria em sério comprometimento. Obviamente um copo de suco de limão não poderia interferir nesse metabolismo como, de fato, não interfere. Muito menos, um copo com água cujo pH fosse 8.0, 9.0 ou mesmo 10.0 ! Do contrário estaríamos sujeitos à morte súbita com uma simples limonada. O mesmo dano está sendo atribuído aos refrigerantes que podem ter efeito deletério sobre a saúde devido a alta concentração de açúcar, mas nenhuma relação com o pH. Efeito similar acontece com as águas gaseificadas que, em geral, têm pH inferior a 6.0 em razão da presença do ácido carbônico produzido pelo gás (CO2) e que não têm absolutamente nenhuma interferência sobre o pH de nosso sangue e nem de nossa saúde como um todo.

5)  Afinal, com relação à água, o que mais devo fazer para preservar minha saúde?

Previna-se contra informações absurdas. Informe-se corretamente. Não existe água “magnetizada”, água “hexagonal” “água imantada” ou tantas outras formas mágicas de água divulgadas e comercializadas por aí. Jamais abandone uma terapia convencional, de resultados médicos conhecidos e consagrados, por expectativas em relação a fórmulas mirabolantes, salvadoras e que só poucos conhecem. O papel da água em nosso organismo é vital e diz respeito à manutenção de nossa homeostase, transporte de eletrólitos e nutrientes. Tampouco os nutrientes ingeridos através da água que consumimos diariamente têm papel relevante quando comparados aos que devemos ingerir todos os dias pelos alimentos. Isso é um mito e precisa ser esclarecido. Hidrate-se bem, aproximadamente 2 litros de água limpa e adequada ao consumo humano por dia. Essa é a água boa, ideal. Seu pH é irrelevante. Alimente-se bem. É dessa forma que se preserva a saúde. Sem magia ou contrainformação.


 INFORNATUS