quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Município de Santo Antonio do Salto da Onça - RN

Entrada de Santo Antônio/RN.
Vista vindo de Brejinho/RN.
No ano de 1850, um dos mais antigos proprietários da região, Florêncio da Costa Palma, vendeu um sítio compreendendo toda a área da futura sede de Santo Antônio, entre o rio Jacu e o riacho dos Macacos. A compradora dessas terras, Ana Joaquina de Pontes, veio de Pernambuco estabelecer-se ali. A senhora Ana Joaquina de Pontes fundou o povoado, desenvolveu a agricultura, constriui casa e doou terras. Em 1869, doou o terreno para a capela consagrada à Nossa Senhora da Conceição. Em meados do ano de 1874, Ana Joaquina de Pontes e sua família haviam alcançado razoável situação na agricultura e na indústria rural; criaram uma pequena feira, atraindo forasteiros e novos habitantes. Essa feira, que marcou o início do povoado, constitui-se, hoje, numa tradição no comércio de Santo Antônio. Ana Joaquina de Pontes faleceu em 1879 quando o povoado formava praticamente uma vila. Seus restos mortais se encontram, hoje, na secretaria da Paróquia Nossa Senhora da Conceição. 

Nas proximidades do rio Jacu, existe uma pedra rachada ao meio com uma fenda medindo aproximadamente três metros. Segundo a lenda de origem da cidade, uma onça, ameaçada por um caçador, foi ferida mortalmente ao saltar de uma pedra para outra surgindo, assim, a denominação "Salto da Onça". O nome de Santo Antônio foi dado à localidade pelo vigário de Goianinha, Padre Manuel Francisco Borges, quando, por ocasião, celebrou a primeira missa na Vila Salto da Onça. Apesar da mudança no nome, a população estabeleceu a denominação Santo Antônio do Salto da Onça, unindo história e religiosidade. 


O município de Santo Antônio foi criado pelo Decreto nº 32, de 05 de julho de 1890, por Joaquim Xavier da Silveira Júnior, desmembrando-o do município de Goianinha. Em 31 de março de 1891, através do Decreto 102, assinado por Amimtas Barros, voltou a pertencer ao município de Goianinha. Tornou-se cidade de Santo Antônio, pelo decreto 457, de 29 de março de 1938, pelo interventor Rafael Fernandes Gurjão. O Decreto-Lei 268, de 30 de dezembro de 1943, denominou-se de Padre Minguelinho, o que não foi mantido na Lei nº 146, de 23 de dezembro de 1948, voltando a denominação anterior de Santo Antônio. 

Localização: Microrregião Agreste Potiguar. Área: 301,08 km².  Altitude: 92m.  Latitude: 6º18'38" Sul.  Longitude: 35º28'44" Oeste.  Clima: Semi-árido.  Período chuvoso: Março a julho com umidade relativa a 74%.  Vegetação: Caatinga Hipoxerófila.  Relevo: Depressão Sub-Litorânea.  Hidrografia: Bacia hidrográfica do rio Jacu. Nesta bacia destaca-se o sítio natural da Fazenda Germânica, com presença de fósseis de mamíferos.  Rios Principais: Jacu.  Riachos Principais: Umbuzeiro, Baixio, Pai Domingos, do Prego, Salgado, da Várzea, Jacumirim de Baixo, Macacos.  Lagoas: do Bola, das Panelas, do Saco, do Gravatá, Redonda, Capim Açu, do Catolé, da Quixaba,  da Lama, do Espeto, das Cobras, Timbaúba.  Solo: Planossol Solódico.  População: 22.214 hab.  Limites: Norte – Serrinha, Lagoa das Pedras e Passagem; Sul – Nova Cruz e Lagoa d’Anta; Leste – Passagem, Várzea e Brejinho; Oeste – Serrinha, Lagoa d’Anta e São José de Campestre.



 
INFORNATUS




segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Município de Barra de São Miguel - Paraíba

Igreja Matriz de Barra de São Miguel
Barra de São Miguel é um município brasileiro do estado da Paraíba. Está localizado na microrregião do Cariri Oriental. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2009 sua população era estimada em 5.624 habitantes. Área territorial de 595 km².Segundo o IBGE , os primeiros habitantes da região foram os índios cariris. Em 1776, chegaram os primeiros bandeirantes à região, quando começou a ocupação. Inácio Tavares foi um dos bandeirantes que fixou residência no local, e seu nome deu origem ao primeiro topônimo: Barra de Inácio Tavares. Posteriormente, o nome foi mudado para Barra de São Miguel, em homenagem ao padroeiro.

O distrito foi criado com a denominação de Barra de São Miguel, pela lei municipal nº 2, de 6 de maio de 1866, subordinado ao município de Cabaceiras. Pela lei estadual nº 166, de 10 de julho de 1900, Barra de São Miguel passou a ser sede do município de Cabaceiras. Tal condição foi alterada em 1907, retornando a sede do município para Cabaceiras. Em 1938, o distrito passou a denominar-se São Miguel. Em 1943, nova denominação é adotada: Potira. O distrito foi elevado à categoria de município com a denominação de Barra de São Miguel, pela lei estadual nº 2623, de 14 de dezembro de 1961, desmembrado de Cabaceiras. A instalação do município deu-se em 8 de abril de 1962.

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005 . Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca. A precipitação média anual é de 431,8 mm .A maior parte do território está inserida na unidade geoambiental da Depressão Sertaneja. A vegetação é composta por Caatinga Hiperxerófila com trechos de Floresta Caducifólia. Ao norte, o município insere-se no Planalto da Borborema .

O município encontra-se inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Paraíba, na região do Alto Paraíba e tem como principais tributários são o Rio Paraíba e os riachos da Mata, Arapuá, Caraibeiras, Quixaba, da Cachoeira, Canudos, Chocalho, Bolão, das Varas, Doce, do Mulungu, da Barra, São Francisco, do Boi, do Meio, de Santo Antonio, das Almas, Santana, do Brejinho, do Jaques, do Mel, do Baixinho, das Almas e do Poço, todos de regime intermitente. Conta ainda com os açudes Riacho do Baixinho, Riacho de Santo Antônio e o Açude Público Epitácio Pessoa ou Açude do Boqueirão .

Enciclopédia Livre

 
INFORNATUS
 
 
 
 
 

A Boate Kiss e a Tragédia que Abalou o Brasil



Boate Kiss
O Brasil e o mundo ficaram chocados, com o acidente provocado por uma banda, que se apresentava em uma boate na cidade de Santa Maria no Rio Grande do Sul. A atitude irresponsável de componentes da banda, de acender sinalizadores dentro de casas de shows como boates, já havia se tornado prática comum em suas apresentações. Essa prática acabou por ceifar de forma assustadora, mais de 235 vitimas fatais, e colocando outros em estado de saúde considerado grave pelos médicos que os atenderam. Entre as vítimas fatais um dos componentes da banda, e vários estudantes universitários e secundaristas dentre outros. Esse fato , segundo investigações iniciais, aconteceu porque decidiram utilizar nessa apresentação sinalizadores mais “baratos”, porém altamente inflamáveis e perigosos.


Esse fato tomou uma repercussão de nível mundial, Jornais e revistas de todo o mundo, noticiaram em primeira página o acontecido. Aqui no Brasil por mais de três dias, não se fala em outra coisa nos telejornais. O incêndio que rapidamente se espalhou por toda boate KISS, sufocou várias pessoas, devido uma terrível fumaça tóxica. E o mais revoltante de tudo isso, foi à atitude irresponsável de seguranças, e de pessoas ligadas diretamente à boate, que procuravam no primeiro momento impedir que as pessoas tentassem sair, alegando a cobrança das comandas que não haviam sido pagas.


Claro que os seguranças apenas cumpriam ordens, o que não torna o fato menos doloroso para todos, principalmente as mães daqueles, que tiveram suas vidas ceifadas de forma cruel. Esse fato mostra a realidade, de uma grande maioria das boates espalhadas por todo o Brasil. E a forma com que tanto as autoridades responsáveis pela vigilância desses lugares, como também os seus proprietários, tratam e se preocupam com o bem estar das pessoas que frequentam esses ambientes. Segundo as reportagens exibidas na época, após investigações, o “alvará” espécie de licença concedida pelas prefeituras para casas de shows funcionarem, estava vencido, ou seja, estava funcionando de forma irregular.


As autoridades devem analisar de forma mais rigorosa, ambientes que aglomerem grandes quantidades de pessoas, como casas de shows e boates em geral, visando principalmente à segurança e a comodidade das pessoas que frequentam esses ambientes. Infelizmente é necessário que o pior aconteça, para que as autoridades e a sociedade em geral tome a iniciativa necessária. A sociedade Brasileira exige das autoridades competentes, uma resposta enérgica para todos os responsáveis, para que verdadeiras carnificinas como essa, não aconteça novamente e que tudo isso sirva de lição Para todos aqueles que não cumprem com as normas e regras de segurança.

Brasil Escola
Fato a Fato 
 
INFORNATUS





domingo, 25 de janeiro de 2015

A História do Rei do Cangaço no Nordeste Brasileiro

Lampião e Maria Bonita
Era numa madrugada de 28 de julho de 1938, quando o Nordeste sentiu o sangue derramado do Rei do Cangaço jorrar pelo solo abrasado. Foi nesse dia que uma ''volante''(como eram chamadas as incursões policiais caçando os temidos cangaceiros), comandada pelo Tenente João Bezerra, na fazenda Angicos, localizada no sertão de Sergipe, terminou com as chances de Lampião, sua mulher Maria Bonita, oito homens do bando e uma mulher de um dos seus companheiros, de escaparem com vida.

Virgulino Ferreira da Silva nasceu no dia 7 de julho de 1897, em Serra Talhada-PE. Ajudava a família com artesanatos, era alfabetizado e usava sempre seus óculos para ler. O apelido famoso veio pelo fato dele ter mudado a estrutura de um velho fuzil, fazendo que a arma tivesse um poder de fogo mais forte. Quando atirava com esse fuzil, o cano esquentava a ponto de brilhar e parecer de longe um ''lampião aceso''.

Sua entrada na vida violenta deu-se em 1919: seu pai foi morto pela polícia, numa época de divergências e brigas com famílias locais. Com esse ocorrido e tomado pelo desejo de vingança, foi recrutando homens pelo sertão com o mesmo propósito, tomando o lugar do antigo cangaceiro Antônio Silvino, vazio desde 1914. Mesmo acusado de crimes como roubos, assaltos, assassinatos, saques e sequestros, esse histórico homem tem a imagem (para muitos) de um Robin Hood do sertão nordestino: Suas ações de roubar e saquear políticos, coronéis e ricos fazendeiros para distribuir entre os sertanejos à beira da miséria traziam aos milhares de sertanejos famintos a chance de se sobreviverem à seca e o domínio dos donos de terras.

Em 1926, como devoto e respeitador das palavras e conselhos de Padre Cícero, foi nos arredores de Juazeiro do Norte, onde conheceu o Padre. (Há estudos que confirmam o histórico encontro. Porém, nessa conversa, o Padre Cícero não tinha dado nenhuma patente ao agora ''capitão Virgulino'', mas diversos conselhos para sair da vida cangaceira. Quem deu a patente, dizem os historiadores que ainda estudam o fato, foi um servidor federal da cidade de Juazeiro, por ser a única autoridade federal da região. Na época, para enfrentar a coluna de Prestes, o governo entrara em contato com o bando, que ganhou armamento, dinheiro e teriam anistia no fim da missão de combatê-los. Deu em nada: Lampião fugiu de novo, sem enfrentar a coluna de Luís Carlos Prestes).

No dia 28 de julho de 1938, um homem que era o ‘’coiteiro’’( homem que dava asilo e informações ao bando) foi preso pela polícia. Torturado, falou onde Lampião estava escondido. 50 soldados da Polícia Militar partiram de Piranhas (Alagoas) para a Fazenda Angicos, em Sergipe. Os fuzis e metralhadoras pegaram de surpresa Lampião e seu bando. A última batalha do rei do Cangaço durou meia hora. Dos trinta e quatro cangaceiros presentes, onze morreram no lugar. A Polícia, ao ver o chefe do cangaço morto, decepa sua cabeça. Maria Bonita ainda estava ferida e foi degolada viva. Luis Pedro, Moeda, Enedina, Alecrim, Elétrico, Colchete e Macela também terminaram com suas cabeças arrancadas pela volante. Já Quinta-Feira e Mergulhão foram os únicos que tiveram suas cabeças cortadas ainda com vida. Em um momento de extremo ódio e alegria pelo feito, um policial desfigurou cabeça de Lampião, quando bateu nela com a coronha do seu fuzil. Esse fato contribuiu a lenda que Lampião tinha escapado, pela grande diferença da fisionomia do Rei do Cangaço.

Os cadáveres decapitados foram exibidos como prêmios e passaram em várias cidades nordestinas. a cabeça de Maria Bonita e a de Lampião permaneceram expostas no Museu da Faculdade de Medicina da Bahia, em Salvador, por quase 30 anos. Só em fevereiro de 1969, foram sepultadas. Com a morte de Lampião, a coroa do Cangaço passa para o cangaceiro Corisco (Diabo Louro) e sua mulher Dadá, que retomam o cangaço no Nordeste em 1939.

Heroi ou Bandido, Lampião ainda continua sendo um dos expoentes da cultura do Nordeste brasileiro e de um valor inestimável para nossa história, música, folclore e sabedoria popular.
 
 
 
INFORNATUS
 
 
 
 
 

sábado, 24 de janeiro de 2015

Hanseníase o Que é e Como Deve Ser Tratada

O que é Hanseníase?


A hanseníase é uma doença infecciosa e contagiosa causada por um bacilo denominado Mycobacterium leprae. A hanseníase não é hereditária e sua evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa que foi infectada. 

Sintomas de Hanseníase


Os sintomas da hanseníase incluem:- Sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades; manchas brancas ou avermelhadas, geralmente com perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e tato; áreas da pele aparentemente normais que têm alteração da sensibilidade e da secreção de suor; caroços e placas em qualquer local do corpo; diminuição da força muscular (dificuldade para segurar objetos).

Tratamento de Hanseníase


A hanseníase tem cura. O tratamento é feito nas unidades de saúde e é gratuito. A cura é mais fácil e rápida quanto mais precoce for o diagnóstico. O tratamento da hanseníase é via oral, constituído pela associação de dois ou três medicamentos e é denominado poliquimioterapia.

Complicações possíveis


A transmissão da hanseníase é feita a partir de um bacilo chamado Mycobacterium leprae, um parasita intracelular que apresenta afinidade por células cutâneas e por células dos nervos periféricos.Os pacientes de hanseníase sem tratamento eliminam os bacilos através do aparelho respiratório superior (secreções nasais, gotículas da fala, tosse, espirro). O paciente em tratamento regular ou que já recebeu alta não transmite. A maioria das pessoas que entram em contato com estes bacilos não desenvolvem a hanseníase. Somente um pequeno percentual, em torno de 5% de pessoas, adoecem. Fatores ligados à genética humana são responsáveis pela resistência (não adoecem) ou suscetibilidade (adoecem). O período de incubação da hanseníase é bastante longo, variando de três a cinco anos.

Prevenção


É importante que se divulgue junto à população os sinais e sintomas da hanseníase e a existência de tratamento e cura, através de todos os meios de comunicação. A prevenção da hanseníase baseia-se no exame dermato-neurológico e aplicação da vacina BCG em todas as pessoas que compartilham o mesmo domicílio com o portador da doença.


 
INFORNATUS




quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O Que é um VLT e Onde Esta em Operação no Brasil?

Esta sigla VLT refere-se a um "Veículo Leve sobre Trilhos", que é um pequeno trem urbano e movido a eletricidade. Seu tamanho permite que sua estrutura de trilhos se encaixe no meio urbano existente. O VLT é uma espécie de Metrô de Superfície, ou mesmo um "bonde" moderno tornando-se alternativa de transportes em cidades como Campinas, Maceió e Recife ou entre cidades de médio porte como o Trem do Cariri entre Crato e Juazeiro do Norte, e Arapiraca. Fortaleza e Natal possuem um projeto de VLT para a Copa do Mundo de 2014, já que elas participarão do evento como sede. Salvador também possui um projeto de VLT, no qual o atual sistema de trens suburbanos seria adaptado e convertido num sistema de VLT, para futuramente se integrar com o sistema de metrô da cidade, Também João Pessoa possui um projeto para implantar um VLT. Todavia, as únicas cidades com projeto em fase execução até agora são Brasília, Cuiabá e Santos-SP.

Cada conjunto forma aquilo a que se chama de unidade de material rolante (UMR) ou elemento VLT, constituído por um, dois ou três vagões articulados, ligados entre si e inseparáveis, que para aumentar a capacidade podem ser ligados a uma outra UMR. Não se deve confundir um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) com uma Unidade de Material Rolante (UMR), pois este é unicamente uma parte constitutiva daquele. Assim um VLT pode ser formado por um ou mais UMR pelo que VLT e UMR não são sinónimos.

No Brasil, o primeiro sistema de veículos leve sobre trilhos foi o VLT de Campinas - atualmente desativado, que operou efetivamente entres os anos de 1990 e 1995. Após o VLT de Campinas, o segundo sistema em funcionamento, que ficou conhecido como Metrô do Cariri, é o que liga as cidades do Crato e Juazeiro do Norte, e foi inaugurado oficialmente em 1 de Dezembro de 2009, com 9 estações e uma linha de 13,6 Km de extensão. A primeira capital brasileira e o mais novo sistema de VLT existente é o de Maceió. Em Recife, o VLT está gradualmente substituindo o trem a diesel. Também pretendem implantar o sistema algumas cidades nordestinas, tais como Salvador, São Luis, Teresina, João Pessoa, Natal , Arapiraca, além de Brasília, Goiânia, Rio de Janeiro , São Paulo e as cidades do ABC paulista. Já está sendo implantado na cidade de Sobral no Ceará e em Cuiabá.

Na Baixada Santista, o projeto do VLT veio para substituir o TIM (Trem Intermunicipal), um trem de subúrbio que ligava as cidades de Santos e São Vicente. Operou por alguns anos, até que em meados de 1999, o sistema teve seus serviços interrompidos pelo governo estadual pela situação lastimável em que se encontrava o sistema. Prometeu-se remodelar e modernizar o sistema substituindo o TIM pelo VLT. Foi criado um projeto aproveitando-se a linha do antigo TIM, ligando a área continental de São Vicente (subúrbios) ao porto de Santos e outras duas linhas, uma ligando Santos a Peruíbe e outra ligando Santos a Cubatão (COSIPA).


Este sistema seria a real integração de toda a metrópole de Santos e São Vicente, o troncalizador do sistema de transportes metropolitanos, onde as viagens entre as cidades da metrópole eram e ainda são feitas por ônibus. Foram realizados vários estudos e vários projetos e traçados alterados foram feitos e após várias seções públicas o projeto final ficou pronto e definiu-se sete trechos a serem implantados.


Passados vários anos de morosas conversações e estudos sobre o projeto, o governo estadual afirmou ser melhor a implantação de um sistema de VLP (Veículo Leve sobre Pneu) pois alegaram este ser de menor custo de implantação e de manutenção. Ainda assim, o VLT será implantando na Ilha de São Vicente, onde ficam as cidades de Santos e São Vicente, e o VLP nas linhas integradoras às restante das cidades pertencentes a Região Metropolitana de Santos e São Vicente. As obras de implantação do VLT de Santos começaram no ano de 2011. No primeiro semestre de 2014 ficou pronto um trecho em São Vicente e os testes se iniciaram no dia 30 de agosto, com a movimentação de uma composição entre as estações N. Sra. das Graças e Pref. José Monteiro. Em suas próximas etapas o VLT da Baixada Santista se estenderá às estações previstas para Santos.


Em São Paulo

Companhia do Metropolitano de São Paulo anunciou que vai passar a usar o VLT para complementar o metrô convencional. Serão 2 linhas novas:

No Rio de Janeiro

É um projeto elaborado pela prefeitura do Rio de Janeiro em parceria com a iniciativa privada de preparação para os Jogos Olímpicos de 2016. Faz parte de um projeto municipal ainda maior chamado de Porto Maravilha que objetiva revitalizar totalmente a região em torno do porto e próxima ao centro da cidade. O VLT carioca colaborará com a demanda de passageiros que já existe e aumentará em face as transformações urbanísticas e viárias que farão a região portuária (atualmente degradada) numa área comercial, cultural, residencial e de serviços. Os seus trens ligarão a praça Mauá (centro) e o aeroporto Santos Dumont com a rodoviária, a estação da Leopoldina (futura estação do TAV) e a estação Central do Brasil pertencente a Supervia. Possivelmente terá ligação com a estação da linha 2 do metrô Cidade Nova e passará perto das estações da Cinelândia e Carioca pertencentes a linha 1 e 2 do metrô.

Em Maceió

Atualmente se utiliza do modal ferroviário metropolitano, da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos). Pelo projeto os antigos trens da CBTU serão substituídos por modernos VLT´s em todo o sistema ferroviário metropolitano, que possui cerca de 32 quilômetros, até dezembro de 2011. Atualmente em teste final, o VLT sai da Estação Central de Maceió, com destino ao bairro de Bebedouro, passando pelas estações: Mercado, Mutange, Fernão Velho. Com padrão de Metrô de Superfície, o VLT atende os municípios de Satuba e Rio Largo e atende cerca de 40 mil usuários/dia. A CBTU possui projetos de ampliação da atual malha que chegará ao bairro das Mangabeiras (Shopping Maceió) e também ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares.


A primeira composição do VLT chegou a Maceió em dezembro de 2010, e passou por vários testes. Autoridades do Ministério das Cidades, CBTU, Prefeitura de Maceió, e Governo do Estado esperam a vinda da presidente Dilma Roussef para a inaugurar o primeiro trecho do projeto. Começou a funcionar oficialmente no dia 10 de outubro de 2011.



 
INFORNATUS






quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Aprendendo Matemática de Forma Interativa



Tecnologia na Sala de Aula
Essa é mais uma importante vertente dentro do projeto “aprender matemática na feira livre”, objetivando situações que de forma prática deverá ser relacionada à vida diária dos alunos. É de suma importância que o professor comece explicando aos alunos as principais relações que serão abordadas dentro dos questionários que serão elaborados ou que possam surgir no decorrer das pesquisas. Dentre elas as relações entre as mudanças de quilograma para grama, descontos ou aumentos relacionados com porcentagem, tudo explicado utilizando a calculadora, que pode ser também através do celular, tablet ou qualquer outro aparelho tecnológico que o aluno possa utilizar para fazer os seus cálculos. Uma das situações que deverá ser utilizada dentro dos questionários será:  

Quando o aluno tiver conhecimento do valor (preço) por quilograma de um produto, e desejar saber quantas gramas ele poderá adquirir com certo valor (dinheiro) desse produto. O procedimento utilizado para fazer esse tipo de cálculo utilizando à calculadora deverá ser mostrado e frisado que se trata de uma operação mecânica, ou seja, esse procedimento poderá ser repetido em situações idênticas.

Exemplo1:
Na panificadora o quilograma do pão custa R$ 7,95.  No intuito de facilitar a venda o padeiro decidiu fazer algumas embalagens com alguns pães, expondo no pacote o valor (dinheiro) que cada pacote custaria. Edvan pegou um pacote que tinha como valor R$ 2,50. Quantos gramas contém o pacote que Edvan escolheu?

Resposta:
Para situações dessa natureza o procedimento que deverá ser utilizado com o apoio do equipamento tecnológico será: Multiplicar o valor (dinheiro) que custa o pacote em questão por 1000 e dividir o resultado pelo valor (dinheiro) que custa o quilograma, o resultado será a quantidade de gramas que procuramos. 2,50 x 1000: 7,95 = 314,46541 que vale aproximadamente 314,47 gramas.Quando a questão for um desconto ou aumento em porcentagem, deverá ser outra situação de grande importância a ser abordada.

Exemplo2:
O salário de Edvan por mês é de R$ 1.200,00. Sabendo que ele terá um aumento de 13% este mês. Quanto ele irá receber ao final do próximo mês?

Resposta:
Como o salário atual é de R$1.200,00 = 100%, e como se trata de aumento vamos calcular 13% do salário e depois soma-lo ao mesmo. Assim:


13% = 0,13 que deverá ser multiplicado por 1.200, logo: 0,13 x 1.200 = R$ 156,00 após adicionar esse valor ao salário atual teremos R$ 1.356,00 que é o valor que ele irá receber no próximo mês. Logo de forma mecânica fica:

Multiplicar o valor% na forma de número decimal pelo valor em questão (salário) em seguida somar o resultado ao valor (salário) em questão para obter o acréscimo. Quantos por cento de um determinado valor (qualquer) valem 30%? O procedimento é simples, porém deve-se prestar bastante cuidado quando for fazer os cálculos, por exemplo:

Quanto por cento de 80 valem 25?

Resposta:
Multiplicar o valor (25) no qual representa o percentual do total (80) por 100 e dividi-lo pelo total (80).

25 x100: 80 = 31,25 %

Conteúdos Explorados:
  • Frações
  • Números Decimais
  • Porcentagem
  • As Quatro Operações Fundamentais (Adição , Subtração, Multiplicação e Divisão) 

Portanto essa é a nossa contribuição complementar dentro do projeto “aprender matemática na feira livre”, demonstrando de forma prática aos alunos do 6º ano do ensino fundamental; formas e meios de utilizar em algumas situações, os aplicativos práticos de seus equipamentos tecnológicos, como celulares para trabalharem determinados problemas expostos pelo professor, que podem envolver de forma interativa a vida diária dos mesmos, sendo de suma importância para o sucesso do aprendizado o interesse e empenho dos próprios alunos.  
 
INFORNATUS